Página “Desinformação” traz esclarecimentos e orientações aos eleitores e interessados no tema

Página “Desinformação” traz esclarecimentos e orientações aos eleitores e interessados no tema

Para combater os efeitos negativos provocados pela desinformação no processo eleitoral brasileiro, está no ar, desde agosto, a página “Desinformação”, disponibilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet. O endereço eletrônico é www.justicaeleitoral.jus.br/desinformacao/. Também é possível acessá-la por meio do Portal do TSE.

O espaço foi criado pelo Núcleo de Campanhas, Redes e Gestão Web da Assessoria de Comunicação (Ascom) do Tribunal. Nele, é possível encontrar esclarecimentos sobre informações falsas divulgadas durante as Eleições Gerais de 2018 envolvendo a Justiça Eleitoral, a urna eletrônica e o voto. O internauta também tem acesso a uma série de vídeos explicativos produzidos pelo Núcleo de Rádio e TV da Ascom.

A página Desinformação traz ainda o livro eletrônico Seminário Internacional Fake News e Eleições, com os principais resultados alcançados e as sugestões apresentadas por especialistas nacionais e estrangeiros durante o evento realizado pelo TSE no último mês de maio, com apoio da União Europeia.

E quem quiser testar seus conhecimentos sobre desinformação pode, também, responder a um Quiz - jogo de perguntas - abrangendo verdades e mentiras acerca das eleições brasileiras.

Ação institucional

A página Desinformação faz parte do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020, lançado pelo TSE no último dia 30. A iniciativa foi apresentada pela presidente da Corte, ministra Rosa Weber. 

Na ocasião, 34 instituições - entre partidos políticos e entidades públicas e privadas - assinaram o termo de adesão ao programa, que tem por finalidade enfrentar os efeitos negativos provocados pela desinformação à imagem e à credibilidade da Justiça Eleitoral, à realização das eleições e aos atores envolvidos no pleito.

 

Fonte: TSE

Últimas notícias postadas

Recentes

TRE-Pi mantém sentença do juiz da 15ª Zona que julgou como não prestadas as contas do PHS.

Em sessão realizada na manhã desta segunda-feira(14), o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), a unanimidade e em harmonia com o parecer do Procurador Regional Eleitoral, Leonardo Carvalho Cavalcante de Oliveira manteve a sentença do juiz da 15ª Zona Eleitoral de Bom Jesus-PI, Élvio Ibson Barreto de Souza Coutinho que julgou como não prestadas as contas do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Diretório Municipal de Redenção do Gurguéia-PI referente ao exercício financeiro de 2016 (Recurso Eleitoral nº 0600460-64.2019.6.18.0000).